sexta-feira, 17 de maio de 2013

Já estou a imaginar...

...os "novos" filhos:

«oh Pai, a Mãe tem a pilinha maior que a tua».


14 comentários:

  1. Hum...e com isto fiquei sem saber se és a favor ou contra. ;)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um assunto delicado, com prós e contras ;)

      Eliminar
  2. Até eu que sou plenamente a favor, tenho que dizer que gargalhei :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O plenamente é um termo forte para aplicar neste tipo de assuntos...mas a intenção era fazer gargalhar :)

      Eliminar
  3. Hás-de concordar que é preferível que "Ó Mãe a nódoa negra que o Pai me fez é maior que a tua"!

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Creio que o amor não se mede pelo género. Todos os dias lido com filhos de heteros, desiquilibrados, vítimas de relações ditas normais e legais... é bom fazer humor com todas as coisas da vida, incluindo a morte. Não devemos é nunca desviar o discurso da tolerância.
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tolerância, isso mesmo! A tolerância deve imperar nalguns temas mais delicados :)

      Eliminar